terça-feira, 9 de abril de 2013

Despacho

O Gaspar, a.k.a., o amigo do povo, assinou um despacho onde proíbe os outros ministros de gastarem um cêntimo que seja no que quer que seja à excepção dos vencimentos e pouco mais. Estão isentos os hospitais. Não se percebe porquê! Os doentes podiam simplesmente ser curados e ter alta médica por despacho do Gasparito.

Portanto, estou a imaginar o pagode nas repartições públicas, quando for necessário comprar papel ou toner para as impressoras ou uma caixa de clips ou agrafos. O Antunes pede ao Chefe que ligue para Lisboa a pedir autorização ao Gaspar para comprar uma caixa de canetas, uma resma de papel e dois elásticos. O Chefe liga da casa de banho, à sua secretária pedindo que lhe leve o papel higiénico que o rolo acabou. A secretária diz que não há mais na despensa e o chefe que limpe o rabo ao rolinho de cartão...

Estou a lembrar-me de mais despachos que o gaspar podia assinar. Coisas do género:
- Só são permitidas duas descargas de autoclismo por dia, por repartição pública.
- As chamadas telefónicas feitas a partir dos serviços públicos, só entre as 21h e as 9h da manhã. Os serviços estão fechados a essa hora? Óptimo! Temos de poupar energia!
- Deslocações em serviço só se for a pé e não implicar a ausência do local de trabalho.
- Nas escolas, só um toque de campaínha por dia. E que seja curto!
- As auxiliares devem recolher o pó do giz dos quadros para fazer giz novo.
- As salas deverão ter o máximo de alunos possível para que não seja necessário aquecimento durante o Inverno.
- Nos transportes públicos deverão ser seguidos os exemplos vindos da Índia em que os passageiros viajam em qualquer lugar onde seja possível ir. Os que forem na parte superior dos autocarros e comboios pagarão bilhete mais caro já que estão a usufruir de uma viagem em modo Aventura Radical...



2 comentários:

  1. Ah! Ah! Ah! Muito bom... e podias continuar :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Podia mas infelizmente, não muda nada... :/

      Eliminar