domingo, 2 de setembro de 2012

(re)começar

Do mal o menos. A colocação para mais um ano lectivo apareceu. Mas não consigo estar feliz. Não é feliz que me sinto. Aliviado talvez. Pelo menos durante mais um ano sei que vou poder continuar a garantir o pagamento da casa. Mas não consigo estar mais do que aliviado. De resto, sinto-me frustrado e um pouco triste também.

Triste porque a lobita ficou de fora. Triste porque será difícil voltar a ter o que tive no ano lectivo passado: partilhar casa com a mulher que amo. Aquela com que sempre sonhei e que nunca pensei que pudesse existir. Triste porque para além de tudo isto, vou trabalhar mais um amo a mais de trezentos quilómetros de casa.

Frustrado, porque fiquei colocado. Não me entendam mal: ter sido colocado é bom, mas ao fim de quatorze anos, a começar o décimo quinto ano como professor não consgo deixar de me questionar sobre se será boa escolha continuar a apostar numa carreira que, depois de todo este tempo, não me dá qualquer tipo de segurança, garantia ou perspectiva futura.

2.ª feira vai começar mais uma etapa desta já longa digressão por este país que está cada vez mais parecido com um charco lamacento. Pergunto-me se será a última e se não estará na hora de mudar de vida, de charco, e de profissão...

4 comentários:

  1. Boa sorte, sapo! Para ti e para a lobita muita força para enfrentarem este novo desafio. Quanto à mudança de carreira, o importante é fazeres o que gostas e sentires que estás a contribuir para a mudança do charco lamacento! Ainda por cima, como professor, podes ter mesmo um papel fundamental no futuro. Pensa naquilo que te fez chegar onde estás hoje. =)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado CurlyGirl. Sabes, nós vamos tendo força e esperança e tentando mudar um pouco, não apenas o charco, mas principalmente a forma como nós o percepcionamos. Tanto eu como a loita gostamos de dar aulas. No entanto, é cada vez mais difícil arranjar motivação para o fazer. Agradeço a importância que dás ao papel do professor. É também por aí que encaro a profissão que tenho. Já não sou capaz de ter essa perspectiva algo romântica que tens, porque a realidade consegue ser, por vezes, de uma enorme violência! Um bom ano para ti e para os teus estudos!

      Eliminar